quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Vão



 Vão

Num dia pensei que se tu fosses,
foste tu quem fosses,
eu me findaria.
Noutro dia, dei-me conta
de que todos vão,
por vontade ou não.
Pois na verdade,
que grafada já vem pronta,
jamais há quem fique.
E na ponta da língua trago
 o discurso vão
de que se vão porque não são meus.
E de que não perco
o que a mim nunca pertenceu.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Mare Vero

Quem é "escravo da verdade", nela se afoga como quem menospreza o mar...
Cada um vive em seu próprio mundo imaginário, e em cada mundo a verdade é diferente, mares diferentes onde a correnteza segue em direções próprias...

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Ou-trem


No compasso do caminho,
que parece seguir apenas em frente,
já fui vagão.
Já levei em mim o que não era meu.
Fui carona de quem, em mim,
viu atalho.
Resvalo de si.

Mas antes disto, 
também fui carga.
Já me arrastei de um lado a outro,
levado por curvas que não eram feitas por mim.
Já fui pesado, etiquetado
comprado e vendido
aguardado e rejeitado.

Já fui estação.
Aguardando incólume por paradas breves,
esperando por quem nunca desembarcou.
Lamentei em chuva o que vi o ar deslocado levar,
pois a estação é ponto de parada,
mas nem mesmo dos perdidos é lar.

Mas há de chegar o dia,
em que serei locomotiva.
E então outros me acompanharão
ou simplesmente ficarão para trás.
Envoltos no vapor que minha certeza será.
Vapor de quem, outrora vagante,
agora, vagalume.